janeiro 18, 2011

À Quintana





dia desses, em que chove saudade
a menina que fui, encontrou-se com a mulher que sou,
no lado de cá do espelho
as duas se olharam e não se reconheceram, tamanho era o abismo entre elas,
e tão parecido com um labirinto era a imagem que se dava quando tentavam chegar mais perto.


como era um dia desses em que chove saudade,
me encostei na parede da memória,
e sorri com o tanto que ainda não sei de mim.


albanegromonte

12 comentários:

M. disse...

Mal comum:)

Mas será mal?

Menia foste. Menina és. Nunca deixes morrer a menina que há em ti.

Que ela existe, existe. Já a li várias vezes.

Lady Cronopio disse...

Não deixarei, M.
Bom te ver.
Beijos

Clayton C. disse...

perfeito a estrofe final, principalmente o verso último.

muito bom aquele do cortázar em Paris, pensou poder seguir os passos de um escritor igual a ele? queria ir à Praga, rsss

obrigado pelos comentários e pelo elogio, por você ter falado acredito mais

Sentabale e
aquela coisa toda

Flávia disse...

Lindo poema. Amei.

Marcos Almeida disse...

És mulher, foste menina e sempre serás Assim como há o ponto que nos separa há sempre o traço que nos une.

Belas palavras

Abraços.

Djabal disse...

Diz Manoel de Barros:

Anos de estudo
e pesquisas:
Era no amanhecer
Que as formigas escolhiam seus vestidos.

Esqueça os labirintos, os enigmas e faça como as formigas fizeram para o poeta.
Mostraram a alegria da vida e o descaso para as circunstâncias.
O dia de amanhã é apenas uma ideia bem distante.
Mas, de qualquer forma, é sempre uma emoção ler a sua produção. Beijos e .... bem, você sabe.

Lady Cronopio disse...

sim, Clayton, quisera seguir passos daqueles que povoam minha estante, meu imaginário, o outro lado do espelho, a face interna do labirinto...
quem dera, anh?
e, digo, dizendo mais: um dia toda orgulhosa: eu li primeiro e já sabia.
sentabale sempre e coisas aquelas.

Lady Cronopio disse...

Flávia, grata pela visita e comentário...
Beijos

Lady Cronopio disse...

Marcos, obrigada pelos versos adicionais.
Visitei seu blog e muito gostei.
Sem tempo agora (oh, infortúnio da vida real...), voltarei assim que puder para mais saborear.
Beijos

Lady Cronopio disse...

Djabal, herói que chega na exata hora em que se quer desistir...
(ainda descubro como!)
Há você, as palavras que escolhe, Quintana simples e os outros que sabemos nem tanto...
Há você, e isto já é bom demais da conta.
Toda coisa aquela e beijos

Ariela Venâncio disse...

- Bonito.

Lady Cronopio disse...

obrigada, Ariela.
seja sempre bem vinda.