agosto 30, 2016

B.

A asa da saudade pousa em minha alma dizendo seu nome.
Recolho a lembrança num papel em branco tentando traduzir, achar palavra qualquer que represente ainda que por um segundo, o tanto de amor que guardei para você nestes dias todos que nos separam.
Não há.
Não há verso meu ou do poeta maior, que possa acalmar esta fome sentida do seu corpo no meu, da sua voz no meu ouvido, no gesto mais comum que você faz quando estamos juntos. 
Não há.
Então recorto da memória rasa, uma frase sua, uma palavra que vem só para mim, um dizer nosso. Me agarro a este pedaço de você que resiste inteiro em mim e remonto o calendário, trazendo pra daqui a pouco, o mês que será.
Aos poucos se acalma o desejo, e a lágrima turva meus olhos embaçados. Mas nem nesta hora, sai da minha alma esta sede que só aumenta.
Fecho os olhos e ainda lá está você me dizendo as palavras de amor que mais esperei. 
Abraço então o travesseiro e rogo aos anjos que me tragam você num sonho que dure até a sua volta.

alba N.

botão da saudade

Hoje tirei da gaveta, a blusa que vesti na última vez que te vi.
Florida, como eu estava naquela dia.
Ela se manteve, eu não.
Sinto que meu sorriso se apaga, minha alegria anda lentamente, meus sonhares noturnos são rasos e facilmente os esqueço, enquanto os dias claramente me gritam a saudade de você.
Sorri com o canto da boca, quase um prenúncio de choro, e cheirei a blusa como se quisesse extrair dela, o perfume seu ou a memória mais acesa de cada um dos minutos que tivemos.
(sim, eu não a levei à lavanderia. Tolamente acreditei que assim poderia reter algo mais de você)
Decidi vesti-la e assim dar um destino a  esta loucura inteira que é amar você.
Os botões traíram minha calma secular.
Olha onde você foi se guardar para este momento!
Lembro de nosso reflexo no espelho. 
Você me abraçou por trás e eu tentei reter a imagem.
Num carinho quase derradeiro, você me afastou os cabelos, beijou minha nuca, e disse que abotoaria minha blusa.
Um botão fora da casa.
Você me deixou um recado.
Sem você eu me sinto que nem aquele botão: fora de casa.
Pois amar você, é estar voltando pra onde nunca deveria ter saído. 
Estar ao seu lado, definitivamente é estar segura, é não tomar chuva, é não sentir falta de nada, é sentir completude, é não ter medo, é estar viva. 
Estar com você é ser muito feliz.

agosto 24, 2016

Dizeres

Desliza tua mão sobre meu corpo, 
mesmo que seja no sonho que temos sempre que acordados, beija-me assim enquanto durar o tempo de estar longe de você.

Abraça-me como se não houvesse saudade todos os dias.
Abraça-me dizendo baixinho como se o mundo não fosse apenas nós dois, 
que me ama e que vai me esperar
Até sempre se preciso for.

Promete que viveremos tudo ainda que ainda nos falta.
Promete, 
eu acredito 
e esta ausência tua, serà mais facil de ser suportada por este coração que só pulsa por teu existir.


Alba N.

Leminski





Amar você é coisa de minutos
A morte é menos que teu beijo
Tão bom ser teu que sou
Eu a teus pés derramado
Pouco resta do que fui
De ti depende ser bom ou ruim
Serei o que achares conveniente
Serei para ti mais que um cão
Uma sombra que te aquece
Um deus que não esquece
Um servo que não diz não
Morto teu pai serei teu irmão
Direi os versos que quiseres
Esquecerei todas as mulheres
Serei tanto e tudo e todos
Vais ter nojo de eu ser isso
E estarei a teu serviço
Enquanto durar meu corpo
Enquanto me correr nas veias
O rio vermelho que se inflama
Ao ver teu rosto feito tocha
Serei teu rei teu pão tua coisa tua rocha
Sim, eu estarei aqui

julho 07, 2016

June

Chove e faz frio
Enquanto não pontua
O sentido da vida no meu coração 
Claridade no céu 
de nuvens amolecidas e caiadas de saudade
Arco-íris surgindo de mansinho
Que nem você chegando na minha vida
-trazendo luz, cor e
esperança de cruzar o arco fronteira
para me tornar 
O que era antes de te perder ontem

Eu de ti lembro inteiro
Do abraço na chegada 
que me conta o tamanho da saudade que também é tua

Das mãos que percorrem meu rosto e assanha meus cabelos

Da tua voz no meu ouvido
dizendo o que meu coração já sabe 

Da tua boca bonita colando na minha o melhor beijo que há

Eu de ti lembro
Cada movimento na direção do meu sentir

Do teu riso,
Teu jeito de inclinar a cabeça quando me presta atenção 
Da maciez dos teus cabelos nos meus dedos
Do perfume teu que me penetra cada poro

Eu de te lembro pois existo
E em mim persiste tudo que é teu

Cada sentido meu te reconhece, te pressente e te sente a falta

De ti eu lembro quando existo
Dos instantes todos em que inertes, pasmos e encantados ficamos.

Em tua lembrança toda história nossa se repete 
a cada vez que cruzas o céu para me encontrar
E o nosso amor se refaz até mesmo no último segundo de te olhar
Quando minhas retinas te fotografam 
E tua imagem crava-se nas paredes deste coração que é teu
E guardo teu abraço  pra me aquecer até você voltar

Alba N.

junho 23, 2016

Ah, e este ar de coisa tua
quando meu olhar se desvia sentindo tua presença, cheiro e textura 
Ah, e esta tua marca no meu corpo, 
a pele arrepiada, os calores, os rios que deságuam em ti
Este eco da tua voz nos labirintos que são martelados nos meus ouvidos, os sussurros, as palavras inexatas que me levam a lugares que nunca sonhei,
Este dizer que não é dito e é entendido
Ah, esta saudade que nunca cessa
nunca finda
e que me traz este ar de coisa tua
quando me vejo no espelho
quando olho para o lado
e é teu sorriso enviesado que vejo
além do tempo, além das milhas que nos afastam, além de tudo
e perto, muito perto deste meu imenso amor.

alba N.