janeiro 13, 2009

Ana C.


acreditei que se amasse de novo
esqueceria outros
pelo menos três outros rostos que amei.
num delírio de arquivística
organizei a memória em alfabetos
como quem conta carneiros e amansa
no entanto flanco aberto não esqueço
e amo em ti os outros rostos
qual tarde de maio
como um trunfo escondido na manga
carrego comigo tua última carta
cortada
uma cartada
não, amor, isso não é literatura.



Ana Cristina César

5 comentários:

Djabal disse...

Para entrega completa, insana, completa e feminina não há alternativa. E de fato isso não dá literatura, apenas dor. É fato. Grande Cristina, grande Lady. Beijos.

Lady Cronopio disse...

Ana me lembra você.
Esta sua definição por si, daria um post.
Beijos

morenocris disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
morenocris disse...

Adeus.

doloridocolorido disse...

exatamente eu, hj.
Ana C matadora sempre.