agosto 21, 2008

Mestre Baiano, Adeus.


Até parece a antecipação da partida...




Quando se for esse fim de som
Doida canção
Que não fui eu que fiz
Verde luz, verde cor de arrebentação
Sargaço mar, sargaço ar
Deusa do amor, deusa do mar
Vou me atirar, beber o mar
Alucinar, desesperar
Querer morrer para viver com Iemanjá.

Dorival Caymmi

2 comentários:

doloridocolorido disse...

Li muito por aqui
não achei caio f
tu não gosta?
já leu? não? sim?
bem eu amo e fiquei tentada a te manda rum texto rs

Beijo

Lady Cronopio disse...

Nossa!
Será que não?
Tenho lembranças de já tê-lo postado.
Talvez no Palavras Que Rasgam... Já foi lá?
Adoro o Caio... Morangos Mofados e mais tudo!
Manda sim.
Esperando aqui, de caneta na mão para copiar!
Beijos