dezembro 17, 2010

Shiraz



sendo a palavra o caminho do teu coração
-escrevo.
descalço-me dos medos que apertam-me as sandálias
e piso em ruas de pedras quentes
disparando estrelas mudas
entre linhas e tintas
que sob teu olhar atento
serão convertidas em poesia.


albanegromonte

9 comentários:

TILIDA disse...

Descalços estamos sempre melhores...

Lady Cronopio disse...

Sim, Tilida... pés desnudos sugerem tanta entrega, não é mesmo?
Beijos, grata por vir aqui.

Utena disse...

Nada como libertar os medos... deixa-nos ser mais nós

M. disse...

Converte lady. eu adiro...lol

Lady Cronopio disse...

Utena, e que beleza é libertar um medo... talvez seja até esta a função dele- o medo- provocar no susto, o seu voo para o Infinito.
Beijos

Lady Cronopio disse...

Convertido, M.
Beijos

Djabal disse...

Shiraz é lembrança de uva;
Shiraz é lembrança de fios;
Shiraz é lembrança da cidade;

E a uva se fez vinho, o fio tapete e a cidade fez poeta e poesia. Beijos.

Lady Cronopio disse...

Shiraz, é também uma lembrança de você, que sempre me lembra.
Beijos e todas as coisas.

M. disse...

Passando...

Esperando:)