setembro 18, 2010

Com Licença Poética...





... modifico as cores do Anjo para a aquarela do meu Tricolor...
Ave, Nelson!

 " O tal do livre arbítrio é uma negócio muito sério mesmo. Ao nascer, o homem recebe de Deus o direito de decidir sobre seus caminhos e, para tanto, ganha uma inteligência tida como superior, uma boa dose de sensibilidade e um coração capaz de abrigar as mais longínquas paixões. E isso é o livre arbítrio. Se o homem souber usá-lo, ou seja, se acionar racionalmente a sua inteligência, se conseguir captar todas as coisas transcendentes que nos envolvem e se tiver dignidade suficiente para viver uma paixão acima de qualquer temporalidade, será, então, feliz. Pois saibam todos desse mundo de Deus que é assim que surge um tricolor. É apenas uma questão de estilo. De entendimento. Até mesmo de cultura. Ou seja, se o cidadão não sabe sequer o que quer dizer transcendente, temporalidade ou racionalidade, jamais conseguirá entender essa coisa séria que se chama livre arbítrio. E como não entende, não decide: vai no embalo. Aí vira essa coisa misturada, pobre, revoltada e cheia de Uh-Tererê. É isso aí. 
Classe é para quem tem. Quem não tem, vira massa!"

Nelson Rodrigues

4 comentários:

Djabal disse...

Tricolor foi massa para degolar reis. Hoje é massa para exercer o lívre arbítrio, como disse o mestre, e escolheu nossa poetisa.
Massa de pão, massa de bom, massa de super.
Também temos esse ponto em comum, além das letras, músicas e palavras.
Beijos e a.c.t. e de brinde: um ótimo final de semana.

Lady Cronopio disse...

É isso aí!!
Segue um poema garimpado para você.
Beijos

Sarah disse...

Também torço pra um tricolor e acontece o mesmo comigo!
Gostei muito do textos, beijos, te seguindo *-*

Lady Cronopio disse...

Obrigada pela visita e apreciação, Sarah.
Seja sempre benvinda.
Beijos