março 31, 2009

escancaradamente piegas


(a você, Vidão, pelos dois anos de amor pra sempre)



se eu pudesse iluminar as palavras e te dizer de um jeito tão claro quanto o sorriso que brilha em teu rosto a cada manhã,
eu diria das coisas todas transformadas em mim, depois que coloquei a teus pés, meu coração partido.
e quantas horas, dias meses se passaram até que no final destes 731 dias, eu possa crer que enfim, este coração remendado tão bem que nem sequer se nota, eu posso te dar.
toma este meu coração inteiro e refeito por este teu amor.
ele é teu,
como são tuas as manhãs de pássaros cantantes, que erram a hora e nos acordam sempre antes
como é teu este dia todo que corre veloz até que a tarde fique rósea, e eu ou tu estejamos a espera, na varanda coroada de insetos engraçados ou da canção de amor que brota no meu violão que nunca mais emudeceu,
como é tua a noite que se tornou única depois que teu peito me abriga a cabeça e espanta qualquer pesadelo,
como são tuas as madrugadas em que abro os olhos e te aprendo um pouco mais, enquanto teus sonhos trazem um sorriso do menino que eu conheci um dia e perdi sem querer...
o menino que era o homem de hoje, e que eu encontrei por querer
o homem que me leva pela mão através do tempo e que me faz renascer a cada movimento do olhar sobre mim.

se eu pudesse iluminar as palavras, eu te diria de uma forma mais clara
o tanto que é grande este meu amor por ti,
mais que tudo, para sempre e aquela coisa toda.


albanegromonte

2 comentários:

Djabal disse...

bom dia, melamor *-* ainda que eu falasse a lingua dos homens, e entendesse a lingua dos anjos, sem o SEU amor eu nada seria... te amo, pan de miel ^.^

Do Blog Nefelibata da Thatha em 31/03/09.

Imaginei que essa resposta seria a que você escancaradamente receberia. Que seja assim.

Beijos e a.c.t.

Lady Cronopio disse...

Que linda resposta, Djabal!Perfeita seria!
Sempre eu sem palavras para dizer aquela coisa toda pra você com esta sua atenção!
Beijos