novembro 25, 2008


Apago a luz do quarto e escureço em mim.
Cristal amargo feito de sangue e sal, retorce em meu peito, subindo-me a garganta nua e lentamente desespera meu coração que dormia em paz.
Nunca mais estas dores e apertos em mim se sentiam.
Tapetes encobriam o que pensava varrido até a largura dos imperfeitos dias que se foram.
Agora, que se apaga a luz e escurece em mim o gesto, a canção, o girar do sol
Cubro a vergonha de chorar pelo vazio, pelo oco da alma que suspira em ritmo alucinado de medo.
Em vertigem alucinada de tempestade anunciada, fecho as portas do meu castelo de vidro e grito à dor que bate ainda devagar:
"Não estou mais aqui"

albanegromonte

Gravura sequestrada aqui: http://vebarros08.wordpress.com/

2 comentários:

disse...

Boa tarde minha querida!
Fique a vontade,a casa é sua. E pode postar o que desejar. Volto para ver como ficou!

Um beijo.

Lady Cronopio disse...

Uêba!
Obrigada. Só não sei como se faz para que seu link fique disponível no post.
Beijos