agosto 25, 2008

Das Pedras

Ajuntei todas as pedras
que vieram sobre mim.
Levantei uma escada muito alta
e no alto subi.
Teci um tapete floreado
e no sonho me perdi.
Uma estrada,
um leito,
uma casa,
um companheiro.
Tudo de pedra.
Entre pedras
cresceu a minha poesia.
Minha vida…
Quebrando pedras
e plantando flores.
Entre pedras que me esmagavam
Levantei a pedra rude
dos meus versos.

Cora Coralina

3 comentários:

Djabal disse...

E eu que acreditava que as pedras não tinham alma. Como ficarei diante da inteireza desse pó ajuntado em pedaços enamorados? Só as flores e a poesia nos salvarão. Beijos, menina, muitos e aquela coisa toda.

Lady Cronopio disse...

Pois este teu comentário há de virar verso em pedra virtual que é este recanto.
Sempre você... Que coisa.
Beijos e toda coisa.

Lady Cronopio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.