março 19, 2008

Cronopio Convocado



Portrait de Christina Rossetti, pintada por seu irmão Dante Gabriel Rossetti

Poetisa inglesa, Christina Georgina Rossetti nasceu a 5 de Dezembro de 1830, na cidade de Londres.
Em 1842 Christina foi presenteada com a publicação dos seus primeiros versos pelo avô, proprietário de uma tipografia. Utilizando o pseudónimo Ellen Alleyne, contribuiu também com alguns dos seus poemas para uma revista pertencente ao movimento artístico designado como Pré-Rafaelita, e que o seu irmão William Michael ajudara a fundar. O movimento Pré-Rafaelita era essencialmente estético e protestava contra o uso exagerado da técnica se não fosse acompanhado de inspiração, prescrevendo a arte medieval antes de Rafael como modelo. Um outro dos seus quatro irmãos, o célebre pintor e também poeta Dante Gabriel Rossetti fez-lhe em 1849 um retrato a óleo a que chamou The Girlhood of Mary Virgin , 'A Meninice da Virgem Maria'.

Em 1862 publicou a sua obra mais conhecida, Goblin Market and Other Poems , coletânea bem ilustrativa do seu estilo melódico mas com arritmia, e cujo poema titular descreve o modo como duas irmãs interagem na descoberta da tentação. Seguiram-se Prince´s Progress and Other Poems (1866) e um livro de contos, Commonpalce and Other Short Stories (1870), entre outras obras, algumas de inspiração religiosa.
Em meados da década de 80 tornou-se praticamente inválida, devido a complicações na glândula tiróide, o que a impediu de seguir o ofício da sua mãe e vir a ser governanta. Recolhida em casa, continuou a escrever, publicando coletâneas de poesia como The Face of The Deep (1892) e Verses (1893).

Tida como a mais provável sucessora de Lord Alfred Tennyson como Poeta da Corte Real Britânica, não chegou a poder ser honrada com o cargo por falecimento, vítima de cancro, a 29 de Dezembro de 1894.


Apesar de publicar alguns de seus primeiros poemas em Germ (1850), uma revista pré-rafaelista, e posar como modelo para seu irmão, Dante Gabriel, e outros pintores pre-rafaelistas, ela não pertenceu a este movimento. Grande parte de sua obra era caráter religioso. Os temas da renúncia ao amor terreno e a preocupação com a morte se esboçam em alguns poemas. A obra de Cristina Rossetti abarca uma ampla variedade de estilos e formas.



Num Lugar Qualquer



Num lugar qualquer
Num lugar qualquer decerto deve haver
A face nunca vista, a voz nunca ouvida
O coração que ainda nunca, nunca ainda, pobre de mim!
Respondeu à minha chamada.

Num lugar quqlquer, talvez perto ou longe,
Para além da terra e do mar, bem longe da vista
Para além da lua errante, para lá da estrela
Que a segue noite após noite.

Num lugar qualquer, talvez longe ou perto,
Com apenas um muro, uma sebe a escondê-lo,
Ou apenas as últimas folhas do ano a morrer
Caídas sobre um relvado enverdecido.

Remember



Recorda-te de mim quando eu embora
For para o chão silente e desolado;
Quando eu não te tiver mais ao meu lado
E sombra vã chorar por quem me chora.

Quando mais não puderes, hora a hora,
Falar-me no futuro que hás sonhado,
Ah de mim te recorda e do passado,
Delícia do presente por agora.

No entanto, se algum dia me olvidares
E depois te lembrares novamente,
Não chores: que se em meio aos meus pesares

Um resto houver do afecto que em mim viste,
-Melhor é me esqueceres, mas contente,
Que me lembrares e ficares triste.

(Tradução Manuel Bandeira, in Rosa do Mundo)


Christina Georgina Rossetti

2 comentários:

Djabal disse...

Conheci Dante através da Virgínia Woolf e D.H.Lawrence. As feições dos rostos que ele pinta são muito marcantes. Jamais esqueci. Agora, graças a você conheço a irmã de vista e de letra. Belas pintura e poesias. São vitorianas em minha mente.

Lady Cronopio disse...

Não é mesmo maravilhoso, isso de ter sempre algo a ser descoberto?
Eu também conhecia (por assim dizer), o Dante através da Virgínia. A citação da irmã me chegou de uma forma bem pop... A primeira-dama francesa lançou um cd com poemas musicados, e entre as poetas, estava a Georgina, que eu desconhecia...
Assim foi.
Bom demais ter você por aqui.
Beijos e aquela coisa toda.