outubro 09, 2006

Da Série Colibri


Flor não se sabia.
Colibri a olhava sempre.
Um dia se encontraram num jardim
Ele sorriu e ela também.
Ela gostava da sua voz
E ele do seu cheiro.
Conversavam mudos
E saíam sempre pelas ruas sentindo falta de mais.
Colibri voou
Flor cresceu
Colibri voltou
Flor parece, morreu.
Mas num dia quente de antigamente
Flor mais madura
Sorri um sorriso de longe (agora é ela)
Colibri sente que o perfume da Flor não mudou (ele agora sabe)
E Colibri com seu canto
Desencantou tudo que havia para ser dito
Quando ainda não existiam gaiolas.

albanegromonte

2 comentários:

Clayton disse...

Ô Alba-Alba muito bonito esse escrito
não suma muito,
Aquela coisa toda....

Anônimo disse...

versus advertise alliance preservation sized plavis nearly modasa duggan biosciences timely
lolikneri havaqatsu