agosto 26, 2006

In Memoriam Para Minha Filha

Oil by Alfredo Volpi
Ao querido poeta Bandeira, que também se desfez no mundo sem herdeiros.
À menina Beatriz de Giz, que me comove desde a primeira visão que dela tive.
À minha mãe, que me fez querer ser mais que filha neste mundo de meu Deus.



A filha que não fiz a filha que não fiz,
Beatriz, Açucena ou Joana DÁrc
hoje seria mulher
estaria agora a meu lado,
com seus profundos e negros olhos a me garantirem a permanência no calendário da vida que está passando tão rápido...

A filha que não fiz,
Maria Eduarda, Lígia ou Carolina
hoje estaria remexendo meu guarda-roupa atrás de um vestido pra sair
com o namorado e me pediria o perfume de rosas,
meu inseparável colar de pérolas ("não vai ser meu mesmo, mãe"?)
e eu sorrindo,
diria sim sim, sim, sim
querida filha que não nasceu,
vítima dos desamores que tive quando meu útero era são
vítima dos desatinos quando meu útero enlouqueceu
em sangue e dores tão constantes
que vezes tantas
quis desistir de abraçar esta filha que tanto sonhava,
mas tanto não desisti
que o próprio destino cuidou de me desarmar.

A filha que não fiz,
Antônia, Maria ou Valentina
hoje estaria me enxugando a lágrima que cai devagar
pelo rosto pelos vincos que a vida com suas dores e alegrias me fez
estaria me ajudando a recompor as cores do existir
e tornando mais doce todo este desengano e desamor
que enfrento

A filha que não fiz,
Beatriz, a última ,
não estaria me olhando agora de uma estrela
não correria ainda menina por entre nuvens e anjos
não me sorriria apenas em sonhos
ou através de outra menina desenhada em giz,
a filha que não fiz se chamaria Beatriz
e seria uma mulher feliz.

albanegromonte

Um comentário:

freireligia disse...

Fucei...para chegar neste,e dizer que uma das primeiras e a última,juntas:nasceu,cresceu e te encontrou!Te encontrou no meio dessa multidão de mães,e tu me encontraste nessa legião de fãs que te seguem e que insistem em ser uma Lígia...quiçá Beatriz,não sei!Só sei que te encontrei!Poema feito pra vó,poema feito pra mim!Que claro,nasci,cresci e hoje habito esse coração desmemoriado...porque do passado,nem saudades tem!

Sua menina.