julho 18, 2010

E...


dentro do meu olhar mora um grito
anunciado este, que envolve dias quase inteiros e noites em claro
mesmo que escuro seja este olhar...
e no avesso das minhas pálpebras você está.
entre o grito e o desespero solene do espelho que se parte
após a palavra não dita
antes do verbo que se forma na garganta
e correndo pela trilha das lágrimas que se faz nos sulcos da minha alma
eu vejo teu sorriso desmaiando
eu sinto teu cheiro de violetas
eu toco tua pele translúcida.
e enquanto se esvai tua imagem
no cochilo das minhas pálpebras cansadas
amparo o querer ser algo além da memória, da saudade, do destino...
e desfaço o nó do entendimento nas palavras cruzadas que faço de olhos fechados
desfiando a teia do sentimento que nunca se finda em mim.

albanegromonte

3 comentários:

Liginha Freire disse...

Vc fez esse hoje também???Que inspiração!!!

Lady Cronopio disse...

o que não traz um sonho à cabeça de um poeta, não é mesmo?
arrumando a casa e soltando o verbo!!!
xero

Liginha Freire disse...

Libera geral,Lady Cronópio!Precisamos ler mais um dos seus...eu e meu mural!