maio 13, 2009

Dom Quixote


"Tanto naquelas leituras se enfrascou, que passava as noites de claro em claro e os dias de escuro em escuro, e assim, do pouco dormir e do muito ler, se lhe secou o cérebro, de maneira que chegou a perder o juízo. Encheu-se-lhe a fantasia de tudo que achava nos livros, assim de encantamentos, como pendências, batalhas, desafios, feridas, requebros, amores, tormentas, e disparates impossíveis: e assentou-se-lhe de tal modo na imaginação ser verdade toda aquela máquina de sonhadas invenções que lia, que para ele não havia história mais certa no mundo"

Trecho de Dom Quixote, de Miguel de Cervantes

2 comentários:

Djabal disse...

É o canto mais seguro de todos os que estiveram sob a discricionariedade dos homens. O lugar da fantasia é aquele onde realmente vivemos, sem patrão, sem peias, pregos,livre enfim.
Cada um encontra seus moinhos e luta. Luta e quase sempre perde. Século de ouro o de Cervantes, e não é à toa. Não? Beijos, querida.

Lady Cronopio disse...

Sim, não é à toa... e gosto da idéia de enlouquecer com tanta leitura...
Beijos
ps: Ah, você!