novembro 10, 2008

Ana


Tu queres sono: despe-te dos ruídos, e
os restos do dia, tira da tua boca
o punhal e o trânsito, sombras de
teus gritos, e roupas, choros, cordas e
também as faces que assomam sobre a
tua sonora forma de dar, e os outros corpos
que se deitam e se pisam, e as moscas
que sobrevoam o cadáver do teu pai, e a dor (não ouças)
que se prepara para carpir tua vigília, e os cantos que
esqueceram teus braços e tantos movimentos
que perdem teus silêncios, o os ventos altos
que não dormem, que te olham da janela
e em tua porta penetram como loucos
pois nada te abandona nem tu ao sono.



Ana Cristina César

6 comentários:

Paguda disse...

ah Albinha
saudades de ti
esper oque esteja bem.

Ana, adoro ler as coisas de ana ela me faz não se sentir tão só ou anormal.
beijo e toda aquela coisa lá

Djabal disse...

Uma resposta e lembrança de outro poeta, para as duas poetisas do blog:

Onde os cavalos do sono
batem os cascos matinais.

Onde o mundo se entreabre
em casa, pomar e galo.

Onde ao espelho duplicam-se
as anêmonas do pranto.

Onde um lúcido menino
propõe uma nova infância.

Ali repousa o poeta.

Ali um vôo termina.
outro vôo se inicia.

José Paulo Paes.

Beijos e a.c.t.

Kovacs disse...

Outra de Ana Cristina Cesar:

Flores do Mais

devagar escreva
uma primeira letra
escrava
nas imediações
construídas
pelos furacões;
devagar meça
a primeira pássara
bisonha que
riscar
o pano de boca
aberto
sobre os vendavais;
devagar imponha
o pulso
que melhor
souber sangrar
sobre a faca
das marés;
devagar imprima
o primeiro
olhar
sobre o galope molhado
dos animais; devagar
peça mais
e mais e
mais

26 Poetas Hoje
Heloísa Buarque de Holanda
Editora Aeroplano

Kovacs disse...

A foto da Ana que você postou me lembrou incrivelmente do olhar de Clarice Lispector. Acabei postando lá no meu mundo sobre esta "semelhança" nada usual. Obrigado pela inspiração.

morenocris disse...

Ei, tem alguém em casa?... rsrs

Estou esperando poesias! rsrs

Beijinhos, linda.

Estou com o morenocris.blogspot.com(somente).

Lady Cronopio disse...

Caríssimos!
Sim, estou viva.
Logo mais voltarei com mimos poéticos para vocês.
Grata a todos pelas visitas, inserções e carinho.
Beijos e aquela coisa toda.