setembro 25, 2008

Anne Sexton






Quando o homem
entra na mulher,
como a onda mordendo a costa,
de novo e de novo,
e a mulher abre a boca de prazer
e seus dentes brilham
como o alfabeto,
Logos aparece ordenhando uma estrela,
e o homem
dentro da mulher
ata um nó
para que assim
nunca mais estejam separados
e a mulher
trepa numa flor
e engole seu talo
e Logos aparece
e desencadeia seus rios.
Este homem,
esta mulher
com sua dupla fome,
têm procurado penetrar
a cortina de Deus
e conseguem brevemente,
embora Deus
em Sua perversidade
desate o nó.

4 comentários:

B. disse...

a namoradinha da Sylvia Plath..
é uma musa sombria, gosto dela.

Lady Cronopio disse...

Gratíssima pela visita.
Anne realmente é sombria no verso.
Beijos

romério rômulo disse...

alba:
passei para um olhar geral.
um beijo.
romério

Linda Loira disse...

aora vou ler tudo =)
supreendente